Daily Archives: 15 de Julho de 2016

Não é só no mato que existem obstáculos, o Todo o Terreno atravessa uma série deles.

Desde 2012 que a modalidade sente dificuldades que colocam à prova associações/ organizações de eventos turísticos, infelizmente uma situação mais profunda e duradoura do que o inicialmente previsto e agora com condicionantes que em nada abona a modalidade.

Os mais recentes manifestos da Quercus bem como a Federação de Proprietários Florestais ou até mesmo um artigo do CM só veio alarmar para a necessidade urgente de algo ser feito, antecipando desta forma futuros passos destas entidades que podem colocar fim ou dificultar a vida aos praticantes do todo o terreno.

Como tal, e impulsionado nas redes sociais, chegando já às 30.000 visualizações, diversas marcas de renome nacional, preparam-se para criar associação nacional que venha a defender os interesses da modalidade e seus praticantes, devendo ter sido esta a posição da FPTTT que até ao momento tem estado passivamente a assistir sem qualquer intervenção e até mesmo colaborando para as incertezas e instabilidade na modalidade como foi feito e recordamos:


15-11-2015 – Gala de Entrega de Prémios CNTrial4x4

“-Sairei da FPTTT em Abril de 2016 mais tardar”.

Aproveitou para brincar com a situação dizendo que não era o Dr. Paulo Portas e que era mesmo irrevogável.

03-12-2015 – Programa a Bola

“-Sairei brevemente, mais dois anos e meio”

Ora, em 15 dias as versões mudam… mas será para ficar-mos na mesma?

A verdade é que a FPTTT teve a oportunidade de ouro para revolucionar a sua forma de estar na modalidade, teve a oportunidade de outro para uma reentrada em grande e se relançar de uma forma nunca antes feita, no entanto, não aproveitou!

As incertezas, a regulamentação dúbia bem como a mais recente atuação das entidades policiais provocam abanão no Todo o Terreno.

É urgente que a lei seja uniformizada e não fique ao critério do agente fiscalizador que muitas vezes mostra mais desconhecimento que o próprio cidadão, também sabemos que não é prática geral mas sim forma de afirmação e muitas vezes pressionado pelo comando de posto, o problema é que estamos a assistir a um excesso tal que também neste campo é necessário agir.

Para agir é necessário uma entidade com voz ativa e representativa, neste caso defende-se que a FPTTT deveria intervir junto das entidades competentes, propondo medidas no que diz respeito à legalização de viaturas Todo o Terreno, promovendo ações de formação, defendendo a modalidade num todo e não somente as associações associadas.

Não podemos esquecer que há praticantes todo o terreno que não participam em eventos organizados, como tal, para circular em caminhos públicos não carecem de quaisquer tipos de autorizações, assim sendo, estão à mercê da sua própria sorte, sem ter a quem recorrer seja para o que for, mas são praticantes.

Acredita-se que há muito para fazer, acredita-se que há estratégia de desenvolvimento que pode dar a volta à atual situação, não havendo até ao momento vontade por parte das entidades ativas!

Assim sendo, marcas como:

Clube Terra a Terra
Clube Escape Livre
Resgate TT
XAdventure
Associação Unicarmões
Clube TT de Castelo Branco
BragAventura
Caramulo Weekend Off Road
Grand Cherokee wj Portugal
Snorkel4x4 – Auto Consigo
TJG Gestão de Eventos Lda
EM4x4.com, Emotions
Arruda Peças

, entre outras que podem vir a surgir ou até mesmo que não quiseram ver os seus nomes divulgados mas que se preparam para em conjunto desenvolver associação que visa combater os atuais interesses existentes e fazer frente à atual instabilidade na modalidade que aparentemente se encontra ao abandono.

Depois de debatida toda a situação, delineado os moldes de funcionamento será formada uma comissão instaladora e posteriormente eleitos os corpos sociais que deverá colocar em prática o estabelecido e aprovado por maioria dos envolvidos.

Antes da criação da associação, deverão ser ouvidas além das associações envolvidas, FPTTT, Quercus, Proteção Civil, situação que ficará à responsabilidade da comissão instaladora.

Sabemos de antemão que há uma estratégia forte e sustentável para a modalidade e para a associação a criar bem como para defender o interesses públicos e privados, só falta mesmo colocar em prática, proposta esta que será apresentada em reunião geral de associações, não podendo esquecer de envolver os praticantes isolados bem como outras entidades que se venha a considerar de interesse.

A reunião estrategicamente deverá coincidir com o início da época TT, ou seja, setembro / Outubro 2016, se se verificar que estão reunidas todas as condições para avançar.

Até lá aguarda-se a entrada de novas marcas que vêm reforçar a luta.

NOTA: O Portugal4x4 enquanto orgão de comunicação limita-se a divulgar a actividade e tudo o que a envolve pelo que não  é promotor de qualquer iniciativa, nem responsável por quaisquer tomadas de posição dos seus elementos administrativos.

(941)