Daily Archives: 15 de Janeiro de 2013


A dupla Carlos Sousa/Miguel Ramalho mantém-se no 6º lugar da geral, cumprida que está a 10ª etapa do Dakar. Mas sem os problemas sentidos com a correia de ventilação do motor do Great Wall, a formação nacional poderia ter terminado o dia com mais um excelente resultado. É que antes dos 18 minutos perdidos numa paragem para tentar solucionar o problema, os pilotos do Great Wall eram os 4º mais rápidos da etapa, dando-se mesmo ao luxo de baterem Peterhansel que, mais uma vez, reforçou a liderança da prova. Para amanhã está marcado o regresso das dunas.

Na véspera do seu aniversário Carlos Sousa estava determinado em repetir a exibição do dia anterior e, a verdade, é que desde os quilómetros iniciais da 10ª especial que se assumia como um dos pilotos mais rápidos em prova. Um pouco antes do quilómetro 125 era mesmo o 4º mais rápido, à frente do líder Peterhansel, com o almadense a admitir que “até nem estava à espera desse desempenho, uma vez que desde o quilómetro 50 que o motor aquecia. E como até estava a andar com algumas precauções, esse resultado não deixa de ser fantástico…»

Mas foi ao quilómetro 125 que os problemas se agravaram, como explica Carlos Sousa: “Com a temperatura a não parar de subir, o motor do Great Wall entrou em ´safe mode` e fomos obrigados a parar. Com a ajuda do Miguel Ramalho consegui substituir a correia que faz a ventilação do motor, mas com isso perdemos cerca de 18 minutos».

Quando retomaram a “corrida”, Carlos Sousa e Miguel Ramalho perderam algum tempo no pó de vários pilotos, mas mais grave foi “a temperatura do motor nunca ter estabilizado para valores normais. Por esse motivo, não raras vezes fomos obrigados a reduzir bastante o ritmo, de modo a não afetar o motor”.

O 13º lugar em que terminaram a etapa traduz os problemas de que foram vítimas Carlos Sousa e Miguel Ramalho, mas os 23m38s perdidos para Terranova (o vencedor da especial) também podem servir de alento para os dias que se seguem. É que se for descontado o tempo perdido com a substituição da correia, a formação nacional teria terminado o dia na 4ª ou na 5ª posição!

Mas mais importante é o facto de Carlos Sousa e Miguel Ramalho terem conservado o 6º lugar da geral, com 16m23s de vantagem para Chicherit. “É claro que o dia de amanhã e os dois a seguir não vão ser fáceis. Nas dunas, o Great Wall perde claramente para os buggies, mas esperamos atenuar essa desvantagem com um bom trabalho ao nível da navegação”, salienta o piloto de Almada. “No entanto, admito que estou bastante preocupado com o problema de que hoje fomos vítimas. É a segunda vez que ele ocorre e se isso se repetir no meio do deserto, tenho dúvidas de que consigamos continuar em prova”.

Resta a esperança dos técnicos da Great Wall resolverem o problema, de modo a que amanhã seja vencido o desafio das dunas de Fiambalá.

 

A ETAPA DE MANHÃ

A etapa de amanhã vai ser marcada pelo regresso às dunas, sendo aliás o primeiro de três dias neste tipo de pisos.  Partindo de La Rioja, esta será uma etapa muito propícia a erros de navegação, mas com a fina areia branca de Fiambalá a também poder contribuir para alguns problemas na travessia das várias cordilheiras. Pela frente, um total de 481 km cronometrados, 219 dos quais disputados ao cronómetro.

 

CLASSIFICAÇÃO – ETAPA 10

Cl.     Piloto/Navegador                Carro                           Tempo/Dif.

1º      Terranova/Fiuza                          BMW                         3h57m58s
2º      Roma/Périn                                   MINI                             a 2m07s
3º      Peterhansel/Cottret                   MINI                             a 2m19s
4º      De Villiers/Von Zitzewitz        Toyota                          a 5m26s
5º      Gordon/Walch                             Hummer                       a 6m51s
6º      SOUSA/RAMALHO              GREAT WALL  a 23m38s

 

GERAL APÓS ETAPA 10

Cl.     Piloto/Navegador                Carro                           Tempo/Dif.

1º      Peterhansel/Cottret                 MINI                             28h12m00s
2º      De Villiers/Von Zitzewitz      Toyota                         a 52m38s
3º      Novitsiy/Zhiltsov                     MINI                             a 1h08m40s
4º      Roma/Périn                                 MINI                             a 1h34m04s
5º      Terranova/Fiuza                        BMW                           a 1h58m49s
6º      SOUSA/RAMALHO              GREAT WALL  a 2h35m00s
7º      Chichérit/Garcin                         SMG                            a 2h51m23s

Fonte: atelierdocaractere

(82)

Ao 11º dia de prova desta edição de 2013 do Dakar, Hélder Rodrigues, o piloto do Team Honda HRC, ascendeu ao 6º lugar da classificação geral superando nessa posição o francês Olivier Pain que durante quatro dias liderou a prova. Aos comandos de uma Honda CRF 450X o piloto português continua empenhado em melhorar a sua prestação, evitando cometer erros e tentando para isso tirar o maior partido possível da sua experiência e do potencial da sua máquina.

Na etapa que ligou Cordoba a La Rioja Hélder Rodrigues terminou o sector seletivo na 9ª posição depois de ter estado nas posições da frente na primeira parte da etapa.

“Foram quase cinco horas seguidas em cima da moto numa especial longa e com algumas características de enduro na fase inicial. Parti atrás do Ruben e aproximei-me um pouco dele mas depois fomos rolando ao mesmo ritmo e mantendo a distância. Mais perto do fim o Paulo Gonçalves passou-me, numa altura em que a pista era mais rápida e não tinha hipóteses de o acompanhar. Foi uma boa etapa e um resultado que me permite partir amanhã para a etapa das dunas de Fiambalá num boa posição”, referiu hoje, após terminar o sector seletivo, o piloto da Honda, Red Bull e TMN.

 

Ao contrário da etapa de hoje a de amanhã começa com uma longa ligação de 262 quilómetros e termina com a especial cronometrada de 221 km, onde navegação, areia e dunas estão de regresso ao rali.

PR_HelderRodrigues_Dakar 2013_15 de Janeiro de 2012

Fonte: A2 Comunicação

(54)