Daily Archives: 6 de Janeiro de 2013


Após uma entrada algo cautelosa na curta especial que marcou o arranque oficial deste Dakar 2013, Carlos Sousa assumiu já hoje um lugar entre o top-10 da classificação dos automóveis, numa etapa em que o piloto do Team Great Wall Motors fez uso de toda a sua experiência para recuperar nada menos do que 11 lugares à geral. O resultado final só não foi melhor porque o português se atrasou cerca de quatro minutos numa das últimas dunas do percurso, numa altura em que rodava já na sexta posição, a escassos segundos de entrar no top-5. Sem dúvida, um excelente pronúncio para as duras etapas que se seguem em território peruano…

Depois do aquecimento da véspera, com uma mini-especial de13 kmque serviu sobretudo para os concorrentes tomarem o pulso à corrida e ao ambiente em Lima, o verdadeiro Dakar começou este domingo, com uma etapa dominada pela areia e onde as primeiras dunas, mesmo ainda de dificuldade média, causaram já alguns dissabores e atrasos significativos ao cabo de apenas dois dias de prova.

Totalizando327 km, com partida e final em Pisco, a segunda mais curta etapa desta edição incluía, ainda assim, um setor cronometrado de242 km, num cenário ideal para os pilotos começarem já a apurar a sua técnica de condução em areia, preparando as temíveis dunas que se seguem no programa, nomeadamente, à chegada a Nazca e Arequipa.

Cumprindo com o prometido na véspera, Carlos Sousa e Miguel Ramalho cedo começaram a recuperar lugares na classificação, impondo toda a sua experiência nas traiçoeiras pistas de areia peruanas, num dia em que foram apenas o vigésimo carro a largar para especial.

“Entramos bastante mais descontraídos do que ontem e mesmo sem arriscar nada, acho que hoje conseguimos impor um ritmo de corrida forte desde início, cumprindo toda a especial sem grandes problemas, à exceção de uma duna mais complicada já perto do final, onde atascamos e teremos perdido entre quatro a cinco minutos”, explicou Carlos Sousa à chegada.

“Ultrapassamos vários carros ao longo da especial e vimos muitos concorrentes perdidos e atascados ao longo do percurso. O Miguel (Ramalho) fez um trabalho fantástico de navegação e isso acabou por ser determinante para este resultado, que é bastante motivador após o início mais cauteloso de ontem. Claro que as principais dificuldades ainda estão para chegar, mas é um facto que hoje estivemos já mais próximos do ritmo que queremos e podemos impor neste Dakar. Só foi pena aquela duna no final… Distraí-me um pouco e acabei por atascar, perdendo alguns minutos para conseguir sair daquele local. Mas o Dakar ainda está agora a começar”, completou o piloto português, num dia em que recuperou nada menos do que 11 lugares na classificação, garantindo o 9º melhor tempo da especial e fixando-se em igual posto da geral.

CLASSIFICAÇÃO – ETAPA 2

Cl. Piloto/Navegador Carro Tempo/Dif.
1º Peterhansel/Cottret MINI 2h35m38s
2º De Villiers/Von Zitzewitz Toyota a 2m35s
3º Chabot/Pillot SMG a 3m52s
4º Terranova/Fiuza BMW a 5m26s
5º Novitsiy/Zhiltsov MINI a 9m33s
(…)
9º SOUSA/RAMALHO GREAT WALL a 14m33s
23º ZHOU/MAIMON GRAT WALL a 40m25s

GERAL APÓS ETAPA 2

Cl. Piloto/Navegador Carro Tempo/Dif.
1º Peterhansel/Cottret MINI 3h00m20s
2º De Villiers/Von Zitzewitz Toyota a 2m38s
3º Chabot/Pillot SMG a 2m46s
4º Terranova/Fiuza BMW a 6m26s
5º Novitsiy/Zhiltsov MINI a 9m33s
(…)
9º SOUSA/RAMALHO GREAT WALL a 15m48s
22º ZHOU/MAIMON GRAT WALL a 42m28s

Fonte: atelierdocaractere

(85)

Falta de gasolina travou Hélder Rodrigues

Ao contrário do que tinha planeado a 2ª etapa não correu de feição a Hélder Rodrigues. Uma arreliadora falta de gasolina obrigou o piloto português a abrandar drasticamente o andamento na fase final da etapa e a perder mais de quatro minutos. Quando faltavam pouco mais do que 60 quilómetros para a especial cronometrada terminar, o piloto da Honda ocupava a 4ª posição e aproximava-se do tempo do 3º classificado.

No final Hélder Rodrigues realizou o 15º tempo tendo gasto mais 10m32s que o espanhol Joan Barreda. Todavia no duelo com Cyril Despres o português perdeu apenas 22s no final de uma etapa em que chegou a estar a ganhar mais de 4 minutos, um resultado que na classificação geral o colocaria à frente do piloto francês vencedor do Dakar 2012.

“Estava a fazer a etapa de acordo com o que tinha planeado. Já sabia que na fase inicial iria perder algum tempo nas ultrapassagens, na medida em que havia bastante pó e não queria correr qualquer tipo de risco. Mas depois comecei a ter o terreno mais aberto e a poder andar mais a fundo. Infelizmente, a meia dúzia de quilómetros da chegada, apercebi-me que estava com pouca gasolina e fui forçado a dosear o andamento, para não correr o risco de ficar parado no meio do sector selectivo”, salientou no final da etapa o piloto da Honda, Red Bull e TMN.

A etapa de amanhã, com um sector selectivo de 243 quilómetros tem a sua parte mais complicada, a travessia de um Erg na fase inicial da especial seguindo-se uma fase de percurso à beira-mar antes de novas dificuldades até à linha de chegada

PR_HelderRodrigues_Dakar 2013_06 de Janeiro de 2012
Fonte: A2 Comunicação

(89)