logo fptt orig18-Agosto-2017
Do processo já divulgado, a Federação Portuguesa Todo o Terreno apresentou recurso para o Tribunal da Relação e como foi adiantado pela lista que luta pela mudança encabeçada por Raul Costa na qualidade de dirigente do Clube Terra a Terra, dificilmente o recurso apresentado iria obter resultados favoráveis à FPTT, e assim foi, a equipa fazendo-se representar pelo seu mandatário Dr. Abel Marques, apresentou alegações que originaram com que o Tribunal rejeitasse o recurso bem como o aperfeiçoamento do mesmo, ou seja, não terá a FPTT direito a qualquer outro recurso relativamente a este processo, passando assim de presumivel culpada a declarada CULPADA.

Será agora executada a sentença quer por aceitação da FPTT ou por execução judicial, fica nas mãos desta a sua escolha.

Mais uma vez o todo o terreno sai vencedor de mais um processo que não será o último, até porque não foi dada outra hipótese se não a luta judicial pela liberdade da modalidade.

Raul Costa, responsável pelos processo interpostos assume:

A luta está a ser demasiado fácil, mas morosa, no entanto os resultados vão aparecendo e vão continuar a aparecer, pois só baixaremos os braços quando acharmos que foi feita justiça e que o todo o terreno fica livre de todo um conjunto de interesses que não os da modalidade ou das associações que alimentam uma série de Lobbies… não pararemos custe o que custar.

Infelizmente, chegámos a uma fase do processo que vai haver demasiados danos colaterais pelo que apelamos às associações que tenham precaução no que diz respeito às ligações com a FPTT ou às modalidades que a FPTT supostamente controla!

Temos medido todos os passos para minimizar danos colaterais, mas ficámos sem saída. Não temos mais como não avançar e assumir que a forma com que a FPTT tem gerido todos os processos vai de facto prejudicar diversas áreas do todo o terreno, nomeadamente o Trial e Navegação, sendo a FPTT, quem pactuou com todo o processo e participou dele, efetivamente os principais responsáveis! Avisámos a tempo de poupar estas modalidades de sofrerem as consequências da gestão danosa a que todo o processo a que a FPTT ficou sujeita, portanto, foi uma escolha dos envolvidos e não uma consequência!

Ao longo do processo temos tido algumas surpresas caricatas, nomeadamente a associação da “secretária da FPTT” ao “presidente da FPTT” em empresa externa alegado no primeiro processo, mas temos mais, muito mais, o suficiente para acabar com a festa de uma vez por todas, com resultados práticos imediatos, mas que temos tentado não levar por diante, até que sejamos forçados a isso, até lá, será documentação confidencial.

Contrariamente ao alegado no recurso com menção ao meu nome, Raul Costa, dispensa qualquer comentário pois conseguem fazer acusações mas não têm a capacidade de constituir prova ou fundamentar em tribunal tudo o que alegam, nem em sua própria defesa quanto mais na acusação!

Se pensavam que eram ameaças, ficaram com a resposta, se não acreditaram no que dissemos que iríamos fazer, façam o especial favor de continuar a não acreditar mas podem ter a certeza, que a justiça vai ser feita quer gostem ou não!

A modalidade vai ser devolvida aos praticantes e associações que lutam por ela!

Não queria deixar de agradecer, em meu nome, em nome do Clube Terra a Terra, a todas as associações que se uniram a esta causa e que têm manifestado das mais diversas formas a sua satisfação com a luta travada.

 

O Portugal4x4 divulga os casos mais importantes, no entanto à comunicados pontuais que são lançados na página de facebook  da candidatura que desde já convidamos a visitar! aqui!

(822)

logo fptt origA 8 de Maio de 2017 conclui-se:

Clube Terra a Terra prometeu e cumpriu… sentou a Federação Portuguesa Todo o Terreno no banco dos réus pelos atos eleitorais que beneficiaram lista apresentada pelo Clube TT de Paredes cujo presidente da Mesa “proposto” era o Dr. Jorge de Lima e o Presidente da FPTT era o Sr. Cândido Barbosa que vêm-se agora afastados dos cargos assumidos na Federação.

Cândido Barbosa que no dia 06-04 se apresenta aos filiados como “O presidente de todos os Clubes”, perdeu o lugar após ver o tribunal dar como provadas as ilegalidades no ato eleitoral, conforme defendido pelo Clube Terra a Terra, associação que decidiu “acabar” com o rumo menos claro que a FPTT levava nos últimos 16 anos, interpôs uma providência cautelar com o resultado transitado a julgado que pode ser lido abaixo, razão para dizer, prometeu e cumpriu.

Raul Costa presidente do Clube Terra a Terra, encabeçou uma lista que deu mote a todo este processo que só agora começou, confessando ainda a preocupação dos “danos colaterais” que todo o processo possa envolver, mas que na defesa do seu direito e das associações que lhe confiaram esta longa caminhada, tudo vai fazer para os minimizar, no entanto nada pode fazer quanto a resistências que possam haver na actividade.

Declarou:
Esta vitória não é minha não é do Clube Terra a Terra, é uma vitória da modalidade, dos praticantes e das associações, esperamos que a primeira porque não é a única.

Os clubes confiaram nesta lista e nós lutámos pelo que sempre dissemos defender e por isso temos aquele que consideramos um dos melhores advogados não só a nível Nacional, Dr. Abel Marques, da Abel Marques & Associados, também já apelidado na modalidade por “implacável” que o demonstrou ser e para ele vai o nosso maior reconhecimento e agradecimento pela forma que conduziu este primeiro processo e pelos resultado obtidos, sendo também ele a conduzir os seguintes.

Não menos importante o manifestado pelo Dr. Jorge de Lima e pelo Sr. Cândido Barbosa em A.G, desvalorizando a própria providência cautelar, acusando os dirigentes do Clube Terra a Terra de deslealdade para com a FPTT e para com o presidente da FPTT, o resultado ficou à vista, pedalámos e a meta foi nossa, mas à imagem de muitas experiências, o ganhar uma etapa não é sinónimo de ganhar uma prova, mas fazemos questão de ganhar a prova e devolver a FPTT à modalidade relembrando que a falta de lealdade foi mesmo da parte do Dr. Jorge de Lima e dos beneficiados do ato eleitoral, Cândido Barbosa e respetiva lista cujos nomes nunca foram divulgados que num dos principais direitos democráticos não consultou as associações para saber se realmente era a vontade delas tê-los lá, até porque nunca foi uma candidatura pública, nem tão pouco foi apresentado um projeto, mas depois escreveram que queriam o diálogo… no momento errado pois o diálogo deve ser antes e não depois.

Para finalizar, vamos continuar a pedalar até porque a batalha judicial, prometemos que ia ser longa e apenas percorreremos os caminhos que nos obrigarem a percorrer, não sendo esta a nossa primeira escolha.

Os nomes das associações envolvidas nesta luta e se o autorizarem, serão divulgados, não podemos esquecer que na primeira linha estão:

Raul Costa | Dr. Abel Marques | Luis Sá | Miguel Neiva | José Pereira | Ricardo Duarte | Gabriel Mendes | Tiago Loureiro

Obrigado a todos os que confiaram nesta equipa…

 

Recomenda-se a leitura atenta do resultado da providência cautelar.

(3866)

 photo MAPA.jpg

A organização da 5.ª prova do Campeonato Nacional de Trial 4×4 quer ultrapassar o sucesso da etapa do ano anterior e, a julgar pela lista de inscritos, vão no bom caminho. Associação TT Sem Limites de Bragança e Clube TT Trilhos do Norte conseguiram atrair mais de 3 dezenas de equipas, entre elas muitas da região transmontana e 3 equipas da Madeira.
Bragança recebe o Campeonato Nacional em pleno verão, altura pouco comum para a realização destas provas, mas é uma forma de presentear os muitos emigrantes que neste mês de agosto regressam ao seu país. No ano passado estiveram cerca de 3500 pessoas na assistência e em 2017 a organização quer ultrapassar estes números.

O circuito será no mesmo local do ano anterior, junto ao campo de futebol de São Pedro dos Serracenos (a 5Km do centro de Bragança), mas foram criadas novas dificuldades para surpreender e desafiar as equipas.

(mais…)

(21)

Uma prova sem precedentes que retrata bem o que poderia ser o Trial em Portugal.

Pontuável para o Super Trial4x4 do Grupo Desportivo do Estreito, uma parceria saudável entre organizações que deve ser aplaudida.

Há muito que a prova do Couço tem vindo a marcar a modalidade e o percurso do Extreme4x4, uma prova com uma beleza natural única pelas suas características que meteu a pequena Vila dou Couço pertencente ao concelho de Coruche no mapa de Portugal e neste Domingo dia 09 de Julho recebeu mais visitantes que habitantes tem a própria Vila. Uma aposta inteligente por parte das autarquias que uma vez por ano torna o Couço o centro das atenções ou não fosse os mais de 60 carros inscritos proveniente dos mais diversos locais de Portugal incluindo ilhas e ainda Espanha e Holanda, com tendência para aumentar nos próximos anos, provocando uma forte adesão de público, uma prova com muitas vertentes ainda por explorar, acreditando que com pouco investimento e apoios autárquicos, nos próximo 2 anos podemos ver esta prova com fortes semelhanças às 24h TT de Fronteira, não no que diz respeito à modalidade em si, mas sim à sua envolvência.

 photo IMG_8687.jpg     photo IMG_9536.jpg
Não podemos deixar de congratular todas as equipas que deram um verdadeiro espetáculo tendo sido uma surpresa a “Classe Fun” que por norma é menos apelativa a quem assiste, mas que nesta prova em particular foi a classe que mais animou a festa… e que festa.

Igualmente congratulações à Organização do Extreme4x4 que montou toda esta estrutura e ofereceu aos seus visitantes condições de excelência para um verdadeiro espetáculo TT, mesmo para quem decidiu pernoitar desde quinta feira.

 photo IMG_9518.jpg     photo IMG_9010.jpg

Um dos pontos altos e que não podemos deixar passar porque originaram momentos arrepiantes não sendo de forma alguma desprestigiar todas as outras equipas ou que não sejam menos merecedoras de referencia até porque fizeram parte e tornaram possível que esta história fosse uma realidade devendo também ser uma referência e quem sabe um mote a que futuramente situações semelhantes sejam possíveis de acontecer.

José Gaspar, um piloto frequente neste troféu, descartou a hipótese de discutir os lugares mais altos do pódio, mas abraçou uma causa nobre e as reações não podiam ser mais arrepiantes, quer no que diz respeito à inter-ajuda das outras equipas quer do próprio publico que aplaudiu, gritou e acarinhou cada momento.

José Gaspar leva como navegador, Luís Marta invisual mas apaixonado pela modalidade que tinha o desejo de entrar nesta aventura e José Gaspar concretizou o sonho com o apoio da organização, o forte apoio do público e não menos importante apoio de Cláudio Ferreira que desta vez abandonou o volante para apoiar a concretização do sonho do Luís Marta… qualquer palavra que possamos deixar não é tão arrepiante como cada momento que vivemos ao assistir à passagem desta equipa, José Gaspar, enorme admiração e muito obrigado. As grande equipas nem sempre são feitas dos melhores carros, mas sim das melhores pessoas e para nós bem como para muitos, o lugar mais alto do pódio foi teu, parabéns também ao Luís Marta pela coragem de enfrentar o “desconhecido”, nas condições dele, terá sido seguramente o verdadeiro herói da prova!

 photo IMG_9978.jpg

Brevemente colecção completa de fotos no site institucional do Portugal4x4 secção de fotos…

(Informação autoria Portugal4x4 o que torna a organização da prova completamente isenta e afastada de eventuais interesses na informação disponibilizada)

(56)