logo fptt origClube Terra a Terra prometeu e cumpriu… sentou a Federação Portuguesa Todo o Terreno no banco dos réus pelos atos eleitorais que beneficiaram lista apresentada pelo Clube TT de Paredes cujo presidente da Mesa “proposto” era o Dr. Jorge de Lima e o Presidente da FPTT era o Sr. Cândido Barbosa que vêm-se agora afastados dos cargos assumidos na Federação.

Cândido Barbosa que no dia 06-04 se apresenta aos filiados como “O presidente de todos os Clubes”, perdeu o lugar após ver o tribunal dar como provadas as ilegalidades no ato eleitoral, conforme defendido pelo Clube Terra a Terra, associação que decidiu “acabar” com o rumo menos claro que a FPTT levava nos últimos 16 anos, interpôs uma providência cautelar com o resultado transitado a julgado que pode ser lido abaixo, razão para dizer, prometeu e cumpriu.

Raul Costa presidente do Clube Terra a Terra, encabeçou uma lista que deu mote a todo este processo que só agora começou, confessando ainda a preocupação dos “danos colaterais” que todo o processo possa envolver, mas que na defesa do seu direito e das associações que lhe confiaram esta longa caminhada, tudo vai fazer para os minimizar, no entanto nada pode fazer quanto a resistências que possam haver na actividade.

Declarou:
Esta vitória não é minha não é do Clube Terra a Terra, é uma vitória da modalidade, dos praticantes e das associações, esperamos que a primeira porque não é a única.

Os clubes confiaram nesta lista e nós lutámos pelo que sempre dissemos defender e por isso temos aquele que consideramos um dos melhores advogados não só a nível Nacional, Dr. Abel Marques, da Abel Marques & Associados, também já apelidado na modalidade por “implacável” que o demonstrou ser e para ele vai o nosso maior reconhecimento e agradecimento pela forma que conduziu este primeiro processo e pelos resultado obtidos, sendo também ele a conduzir os seguintes.

Não menos importante o manifestado pelo Dr. Jorge de Lima e pelo Sr. Cândido Barbosa em A.G, desvalorizando a própria providência cautelar, acusando os dirigentes do Clube Terra a Terra de deslealdade para com a FPTT e para com o presidente da FPTT, o resultado ficou à vista, pedalámos e a meta foi nossa, mas à imagem de muitas experiências, o ganhar uma etapa não é sinónimo de ganhar uma prova, mas fazemos questão de ganhar a prova e devolver a FPTT à modalidade relembrando que a falta de lealdade foi mesmo da parte do Dr. Jorge de Lima e dos beneficiados do ato eleitoral, Cândido Barbosa e respetiva lista cujos nomes nunca foram divulgados que num dos principais direitos democráticos não consultou as associações para saber se realmente era a vontade delas tê-los lá, até porque nunca foi uma candidatura pública, nem tão pouco foi apresentado um projeto, mas depois escreveram que queriam o diálogo… no momento errado pois o diálogo deve ser antes e não depois.

Para finalizar, vamos continuar a pedalar até porque a batalha judicial, prometemos que ia ser longa e apenas percorreremos os caminhos que nos obrigarem a percorrer, não sendo esta a nossa primeira escolha.

Os nomes das associações envolvidas nesta luta e se o autorizarem, serão divulgados, não podemos esquecer que na primeira linha estão:

Raul Costa | Dr. Abel Marques | Luis Sá | Miguel Neiva | José Pereira | Ricardo Duarte | Gabriel Mendes | Tiago Loureiro

Obrigado a todos os que confiaram nesta equipa…

 

Recomenda-se a leitura atenta do resultado da providência cautelar.

(3484)

 photo IMG_7922.jpg
As expectativas eram elevadíssimas e 2017 confirmou-as: pelo quarto ano consecutivo a etapa do Campeonato Nacional de Trial 4×4 em Mação foi um verdadeiro sucesso. Com uma enorme lista de inscritos epúblico a condizer, a etapa de Mação afirma-se já como uma prova de referência dentro do calendáriodesportivo do Campeonato Nacional de Trial 4×4 e o MAC TT-Clube TT de Mação como um clube exemplar.

Pedro Costa (Preparações Badinho/Cabral Seguros) foi o vencedor da 3.ª etapa do CNTrial 4×4. Depoisde ter estreado o novo carro na etapa anterior, o campeão em título da classe Extreme impôs um ritmo muitoforte e completou 22 voltas à pista. Ao ter vencido em termos gerais foi, obviamente, o melhor da sua categoria:Super Proto. Depois de 3 provas, Rui Querido (Euro 4x4parts/ Tibus Off Road) segue na frente da classificaçãogeral, com mais 17 pontos do que o segundo classificado.

Floriano Maia (Team Flora Inovocorte/Tuff 4×4) regressou ao CNTrial 4×4 em Mação e venceu a classeExtreme. Completou as mesmas 19 voltas à pista de Pedro Alves (MonsTTer/Cistus), mas gastou menos 2minutos e 33 segundos. Quando estão cumpridas 3 provas, António Calçada (NordHigiene Team) continua nafrente da classificação da Extreme, mas agora com menos vantagem. Tem mais 4 pontos do que Pedro Alves.

Na categoria Proto Rui Rocha (Team RJ 69) fez a festa. Depois de 3 horas muito exigentes, e de algunsazares nas provas anteriores, os irmãos de Arouca venceram o ouro da classe Proto em Mação. Completaram22 voltas, mais 1 do que Flávio Gomes (TáBô Team 4×4) e António Henriques (Mister Reboques). Depois daetapa de Mação Rui Querido lidera a classificação da Classe Proto com 49 pontos, seguido de Álvaro Alves(Dream Car) com 42 e Rui Rocha com 41.

Ao vencer em termos gerais, Pedro Costa venceu também a classe Super Proto. Nas contas docampeonato, Luís Jorge sai de Mação na liderança da classe. Tem agora 49 pontos, mais 3 do que CláudioFerreira (Auto Higino).

Depois de duas horas de resistência João Fernandes (Jovi Team) venceu na classe de promoção. Ocampeão em título da categoria completou 21 voltas à pista, mais 1 do que João Vicente (Santerchips/AMturbocharger/jot4x). Com esta vitória João Fernandes soma vantagem. É agora líder isolado da promoção com 4pontos de vantagem.

Na Classe UTV/Buggy em três provas houve três vencedores distintos. Em Mação foi a vez de DanielDuque (Duque TT) subir ao lugar mais alto do pódio. Completou 16 voltas à pista, mais 5 do que Domingos Diniz(Team Revi-clap 1). O ouro de Mação vale também a liderança da classe a Daniel Duque. Soma agora 54pontos, mais 2 do que Domingos Diniz.

O Campeoanto Nacional de Trial 4×4 regressa aos trilhos no fim de semana de 3 e 4 de junho, emGondomar, Capital Europeia do Desporto 2017.

 

Classe Absoluto
1.º Pedro Costa – Crawler Toyota – 22 voltas
2.º Rui Rocha – Toyota – 22 voltas
3.º Flávio Gomes – Jeep Wrangler – 21 voltas

Classe Extreme
1.º Floriano Maia – Samurai – 19 voltas
2.º Pedro Alves – Land Rover – 19 voltas
3.º António Silva – Toyota Hilux – 18 voltas
Classe Proto
1.º Rui Rocha – Toyota – 22 voltas
2.º Flávio Gomes – Jeep Wrangler – 21 voltas
3.º António Henriques – Proto XS5 – 21 voltas

Classe Super Proto
1.º Pedro Costa – Crawler Toyota – 22 voltas
2.º Luís Jorge – Proto XS5 – 204 voltas
3.º Domingos Parente – Rock Crawler Cabstar – 19 voltas

Classe Promoção
1.º João Fernandes – Nissan Patrol GR – 21 voltas
2.º João Vicente – Toyota BJ 40 – 20 voltas
3.º Fábio Ferreira – Nissan patrol GR – 15 voltas

Classe UTV/buggy
1.º Daniel Duque – Polaris RZR 800S – 16 voltas
2.º Domingos Diniz – CAN-AM –11 voltas

(252)


Após diversos comunicados e manifestos de equipas a correr no CNT4x4, tendo havido 4 equipas a tornar público o seu abandono pela ausência de transponders nas provas do respetivo campeonato, entendeu a direcção do CNT4x4 atender às exigências e segundo “e-mail enviado às equipas”, introduzir sistema de cronometrarem contemplando os então transponders.

A modalidade saiu a ganhar com o “braço de ferro” da última semana que colocou em causa a participação de várias equipas que defendiam, clareza e justiça.

O trial saiu a ganhar e as equipas mostraram que as rivalidades em prova não têm de ser transportadas para fora das pistas e que juntos podem marcar a diferença.

Fica assim o desejo de continuação de um bom campeonato e que vença o melhor.

O primeiro comunicado de comparência a ter sido tornado público terá sido da equipa Horticolas Team, havendo a possibilidade de todas as outras equipas seguirem o exemplo e efetivamente comparecerem em Mação, a próxima etapa do CNT4x4 a cargo de MAC TT.

 photo Captura de ecratilde 2017-04-19 agraves 18.20.18.png

(1155)

 photo IMG_1511.jpg

Equipa “Veículo Longo Team“, quarta equipa a tornar publico a apresentação de cartão vermelho ao CNT4x4, apesar de não ter marcado presença na etapa de Torres Vedras, manifesta o seu descontentamento com toda a situação e afasta-se de Mação.

Equipas “adversárias” em pista unem-se em prol da verdade desportiva na atividade e utilizam os seus meios de comunicação para divulgar as posições relativamente à sua participação no campeonato.

A rede Social Facebook tem sito o meio de comunicação preferencial para manifestar o seu descontentamento, uma “moda” que pegou, sendo um meio legitimo à imagem do que grandes nomes do poder politico e desportivo têm feito, sendo a forma mais fácil e mais rápida de chegar aos seu seguidores e amigos.

 photo Captura de ecratilde 2017-04-18 agraves 11.37.54.png

(689)